Buscar
  • José Roberto Napolitano

Alinhamento Estratégico

Atualizado: Abr 28


O Alinhamento Estratégico é uma poderosa ferramenta de gestão para qualquer tipo de negócio ou ramo de atividade, seja para pequenas, médias ou grandes empresas.


Com uma certa frequência, as empresas necessitam revisar sua posição no mercado, pois no dia a dia diversos fatores podem alterar o rumo do negócio, que foi pensado e estabelecido anteriormente. As ações corretivas tomadas sobre os desvios, podem não ter mais a mesma efetividade de quando o planejamento foi traçado. O mercado é dinâmico, sempre em constante alteração, novas ideias e negócios entram diariamente no cenário corporativo ampliando a rede de concorrentes, como também surgem novas formas de fazer negócios. Colaboradores entram e saem das empresas levando competências consigo e novas competências vão tomando o seu lugar, por força da urgência decisória. Muitas vezes não há tempo de prepará-los para o que está por vir. As novas tecnologias que são disponibilizadas, preveem tornar os processos de negócio mais ágeis, reduzir custos e até promover mais qualidade do que se obtinha anteriormente. No entanto, sem o alinhamento estratégico necessário contemplando todos os elementos envolvidos, torna-se difícil obter o sucesso desejado nesta onda de mudanças. Conscientizar e motivar pessoas não é uma tarefa fácil, e é o material mais importante de uma empresa. É quem faz as coisas acontecerem.


Recomenda-se que o alinhamento estratégico deva ser conduzido por profissionais preparados, com conhecimento e experiência, permitindo promover as mudanças possíveis dentro das necessidades, e principalmente, utilizando-se da visão do todo, de alguém que esteja fora da empresa, ou seja, que possa olhar o negócio como uma floresta e não somente cada árvore individualmente. Todo o trabalho deve ser desenvolvido e implementado em conjunto com os profissionais responsáveis pela gestão do negócio, pois é de vital importância o conhecimento do negócio e a cultura corporativa. Também devem ser envolvidos todos os colaboradores que fazem parte dos processos de trabalho; a visão de futuro deve ser única para todos os colaboradores, pois todos os esforços devem ser direcionados para o mesmo objetivo.


O alinhamento estratégico deve considerar todos os aspectos que podem afetar os resultados desejados, sejam os recursos humanos, a tecnologia, os processos de negócio, os métodos de comunicação, as ferramentas de gestão, sistemas de informação, enfim, elementos que estão disponíveis no mercado com fartura, ou seja, há alternativas para selecionar o que se aplica melhor a cada negócio. Na maioria das vezes as equipes estão tão envolvidas no movimento diário, em atender aos seus clientes, que não há tempo para avaliar e decidir o que é mais aderente ao seu negócio, e muito menos disponibilizar tempo para implantar e avaliar os resultados.


Peter Drucker, guru da área de Administração, disse: “a melhor forma de prever o futuro é cria-lo”. Olhando para este pensamento, devemos observar que para criar o sucesso pretendido é necessário inicialmente conhecer bem o ambiente interno e externo do negócio, ter claramente o conhecimento sobre quais virtudes que existem e quais precisam ser desenvolvidas, como também saber em quais oportunidades a empresa deseja investir. É um processo de mudanças, e mudanças geram ansiedade e insegurança. Precisa ser bem planejado e executado.


A Modelagem de Processos é um instrumento de gestão fundamental no alinhamento estratégico. As empresas, normalmente, administram o negócio por departamentos, entretanto, as empresas funcionam por processos de negócio, os quais podem passar por diversos departamentos desde o seu início até que cumpram a sua função. Devemos perguntar: quem administra ou é responsável pelas atividades entre um departamento e outro? O que acontece nestas lacunas? Podemos perder eficiência, eficácia, qualidade, tempo, dinheiro e até clientes. Não seria mais prudente que os processos de negócio tivessem um gerente como responsável do início até o seu final? A resposta a esta pergunta está na análise minuciosa dos processos de negócio da sua empresa. Depois disso será possível traçarmos uma estratégia para criar um futuro diferente ao existente.


É muito importante que todas as conquistas sejam comemoradas, por menor que seja o resultado, para que todos se sintam parte do sucesso. Isto faz parte do processo motivacional. Da mesma forma, os fracassos precisam ser analisados e estudados de forma imediata, pelo fato de serem material muito valioso de aprendizado e preparo para a correção dos desvios, em curtos prazos de tempo. Neste sentido, sem a definição de métricas, indicadores de desempenho, fica difícil gerenciar o negócio e saber em qual direção estamos seguindo.


São Paulo, 02 de maio de 2019.


José Roberto Napolitano

Sócio da Muster Consultoria




2 visualizações
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram

©2020 Muster Consultoria